Pular para o conteúdo principal

Mirra


Chá de mirra para cuidar da boca




Originária da África e da região arábica, a mirra é um arbusto já velho conhecido da história cristã: foi um dos presentes que, segundo a crença, foi levado a Jesus pelos Reis Magos. Utilizada desde a antiguidade por conta de suas propriedade medicinais, a planta pode ser uma excelente aliada para quem sofre alguns tipos de problemas na boca e na garganta.


Naturalmente analgésica e antisséptica, o chá feito com as folhas da mirra contém propriedades anti-inflamatórias que auxiliam em tratamentos na faringe e na boca, como inflamações na gengiva, aftas, cortes na boca e irritação da garganta. Além do chá, a planta também produz um óleo utilizado em massagens relaxantes e pela indústria cosmética em produtos contra a acne e desodorantes.
Como preparar chá de mirra


Para produzir um chá eficaz contra problemas na boca, adicione um quarto de xícara de mirra e um quarto de xícara de sal marinho em uma xícara de água fervente. Quando a solução esfriar bocheche uma vez por dia e cuspa. Esse hábito ajudará a manter os dentes saudáveis, afastar as bactérias e fortalecer o tecido das gengivas.



MIRRA ARÁBICA - Chenopodium mirrah

A mirra, uma resina de sabor amargo de origem ancestral, e apreciada há milhares de anos enquanto remédio depurativo e anti-séptico. Usada em perfumaria, desinfecta os tecidos com os quais contata.

Descrição : Planta da família das Chenopodiaceae, tambêm conhecido como mirra arábica, mirra verdadeira e incenso. A mirra é um arbusto ou pequena árvore espinhento de até 3m que cresce na Arábia e no nordeste da África, cujo nome nos é muito conhecido por estar entre os presentes que os Reis Magos levaram a Jesus (ouro, incenso e mirra). Tronco fino, ramoso, nodoso e sub-ramificado. As folhas são escassas, terminais, trifoliadas, com foIíolos laterais pequenos dentados na ponta. A resina gomosa exuda das fissulas ou incisões da casca e goteja em lágrimas amareladas ou arnarronzadasl. As inflorescências são paniculadas, amarelo-avermelhadas. O fruto é marrom, oval, acuminado, com 7 mm decomprimento. A planta costuma ser oleosa ou apresentar uma espécie de poeira de resina, tem sabor amargo e ácida e muito aromática.

Habitat: Leste do Mediterrâneo, África oriental, Yemen e sul da Arábia.
História: Há referências a seu uso no Antigo Testamento. Usada na mumificação, no Egito. Faz parte da Farmacopéia Chinesae e Ayuverdica é mundialmente usada

Parte usada: Uma resina que a planta exala quando cortada.
Propriedades medicinais: Aromática, analgésica tópica, estimulante e anti-séptica, Antiinflamatório para boca e faringe.
Indicações: Contusões, entorses, torcicolo, nevralgia. Usa-se a tintura em gargarejes e bochechos para aliviar dor de garganta, inflamações da gengiva e ferimentos na boca, na dose de cinco gotas em meio de copo de água. A infusão feita com uma colher de chá da erva e meio litro de ígua fervente elimina mau hálito e dentes moles, e deve ser toma-ia na dose de uma colher de chá de quatro a cinco vezes ao dia.
Usado em produtos cosméticos, para a acne, pele envelhecida, desodorante corporal, inflamações da pele e úlceras; Arormaterapia; ÓIeo para massegens, Repelente de insetos.

Pele, problemas digestivos : Fortemente anti-séptica e adstringente e de sabor muito desagradável a mirra é usada em inflamações e infecções da pele e sistema digestivo. É um excelente colutório e gargarejo, tanto sozinha como conjugada com outras ervas, como a salva (Salvia officinalis). A tintura diluída (ou pura) é um precioso remédio de primeiros socorros para limpar e desinfectar cortes, escoriações e feridas; arde quando se aplica, sobretudo a tintura pura.

Colesterol alto : O gugul (Commiphora mukul), outra resina anti-séptica c parente da mirra, tem uma acentuada capacidade para reduzir os níveis de colesterol. A investigação apoia o seu uso (em cápsulas ou comprimidos) para este fim.

Modo de usar: Alcolatura por maceração de 50 g de folhas frescas em 1 litro de álcool, durante 10 dias. Coar e armazenar em vidro escuro. Fazer massagens sobre áreas doloridas do corpo com algodão embebido.

Posologia: Adultos: A tintura da resina é pincelada ciretamente sobre a pele, apenas para uso tópicoco ou até 10 gotas (5mI) em 200 mI como enxágüe para cabelos ou 15 ml em 1 xícara de água morna para coIutório ou gargarejo; Em dentifrício ou pós para uso tópico, 10% de resina pulverizada. Óleo essencial para massagens, aromete-rapia ou inalação: 5 gotas; Crianças: Usam de 116 até meia da dose.

Interação medicamentosa: A mirra interfere com tratamento para díabetes, devido suas propriedades hipoglioemiantes documentadas.

Precauções:Uso externo; Diabéticos devem ser acompanhados por profissional competente e ter sua glicemia cuidadosamente moniIorada.

Aromaterapia : meditação.

MIRRA ARÁBICA: (Chenopodium mirrah)

Descrição : Planta da família das Chenopodiaceae, tambêm conhecido como mirra arábica, mirra verdadeira e incenso. A mirra é um arbusto ou pequena árvore espinhento de até 3m que cresce na Arábia e no nordeste da África, cujo nome nos é muito conhecido por estar entre os presentes que os Reis Magos levaram a Jesus (ouro, incenso e mirra). Tronco fino, ramoso, nodoso e sub-ramificado. As folhas são escassas, terminais, trifoliadas, com foIíolos laterais pequenos dentados na ponta. A resina gomosa exuda das fissulas ou incisões da casca e goteja em lágrimas amareladas ou arnarronzadasl. As inflorescências são paniculadas, amarelo-avermelhadas. O fruto é marrom, oval, acuminado, com 7 mm decomprimento. A planta costuma ser oleosa ou apresentar uma espécie de poeira de resina, tem sabor amargo e ácida e muito aromática.


Parte usada: Uma resina que a planta exala quando cortada.

Indicações: Contusões, entorses, torcicolo, nevralgia. Usa-se a tintura em gargarejes e bochechos para aliviar dor de garganta, inflamações da gengiva e ferimentos na boca, na dose de cinco gotas em meio de copo de água. A infusão feita com uma colher de chá da erva e meio litro de ígua fervente elimina mau hálito e dentes moles, e deve ser toma-ia na dose de uma colher de chá de quatro a cinco vezes ao dia.Usado em produtos cosméticos, para a acne, pele envelhecida, desodorante corporal, inflamações da pele e úlceras; Arormaterapia; ÓIeo para massegens, Repelente de insetos.

Modo de usar: Alcolatura por maceração de 50 g de folhas frescas em 1 litro de álcool, durante 10 dias. Coar e armazenar em vidro escuro. Fazer massagens sobre áreas doloridas do corpo com algodão embebido.

Posologia: Adultos: A tintura da resina é pincelada ciretamente sobre a pele, apenas para uso tópicoco ou até 10 gotas (5mI) em 200 mI como enxágüe para cabelos ou 15 ml em 1 xícara de água morna para coIutório ou gargarejo; Em dentifrício ou pós para uso tópico, 10% de resina pulverizada. Óleo essencial para massagens, aromete-rapia ou inalação: 5 gotas; Crianças: Usam de 116 até meia da dose.

Interação medicamentosa: A mirra interfere com tratamento para díabetes, devido suas propriedades hipoglioemiantes documentadas.

Precauções:Uso externo; Diabéticos devem ser acompanhados por profissional competente e ter sua glicemia cuidadosamente moniIorada.

Atenção:

Lembramos que as informações aqui contidas terão apenas finalidade informativa, não devendo ser usadas para diagnosticar, tratar ou prevenir qualquer doença, e muito menos substituir os cuidados médicos adequados.

ObservaçõesA mirra é uma planta tradicional devido ao Cristianismo, pois ela é mencionada na Biblia como um presente dado por um dos três Reis magos a Jesus, no seu nascimento. Os egípcios também a utilizavam para realizar embalsamentos. Hoje em dia, a mirra é uma planta medicinal pouco utilizada, mas permanece sendo bastante interessante para o tratamento de problemas da boca como as aftas. 
Mirra (Commiphora myrrha)
Tenho visto a mirra descrita como O clássico remédio para problemas de gengiva. “Embora os egípcios a usaram para embalsamar suas múmias, ela nos ajuda a preservar nossas gengivas.”
A mirra é um desinfetante antisséptico/bucal, um tônico e restaurador de tecidos, i.e. ela ajuda contra infecções gengivais, encolhendo gengivas (piorréia), tonifica/fortalece as gengivas e ajuda com dentes frouxos. A mirra possui um efeito bactericida, previne a parodontite e auxilia quando as gengivas já estão inflamadas. A mirra é frequentemente encontrada em pastas de dente e enxaguatórios bucais para tratamento e prevenção de doença gengival.

Você pode comprar mirra como tintura na farmácia (comum/de manipulação), pó de mirra para gengivas ou como óleo essencial. Quando usar o último, você pode dissolvê-lo numa solução alcoólica (20 gotas de mirra para 50 ml de álcool a 40% (veja a explanação para isso em Óleos essenciais para cuidado bucal). A tintura de mirra aparentemente pode ser recomendada para a higiene bucal diária de qualquer um.
Outra combinação sugerida é com tinturas de mirra, equinácea e eucalipto, usada como enxaguatório bucal.
A mirra era frequentemente usada pelos romanos em pós e pastas para limpar os dentes. Hipócrates, considerado o primeiro médico da humanidade, sugeriu o uso da mirra em bochechos. Essa planta possui qualidades desinfetantes que combatem os germes e aliviam a dor na boca. Experimente fazer um creme dental caseiro de mirra e teste diferentes sabores como menta, canela ou cravo.

O que você precisa?

Pilão
Duas colheres de chá de mirra esmagada
Frasco com tampa
1/4 de xícara de vodca


Lista completa

Instruções
1 Use o pilão para triturar a mirra finamente. Quando ela estiver em grãos, coloque-a no frasco e cubra-a com a vodca mais forte que puder comprar. Então, deixe-a em uma janela ensolarada durante três dias. 

2 Coe o extrato de mirra através do morim. Descarte todos os resíduos acima da peneira e armazene o líquido em uma garrafa por até três anos. 

3 Em uma tigela, peneire a argila de bentonita e o bicarbonato de sódio. 

4 Esmague as folhas de framboesa usando o pilão. Então, adicione-as à mistura na tigela. 

5 Use o pilão para triturar a hortelã finamente e adicione-a à mistura.  

6 Peneire a casca de carvalho branco em pó e acrescente-a à mistura. 

7 Adicione cinco gotas de óleo de melaleuca e 20 gotas de extrato de mirra em uma tigela. Mexa bem até tornar a mistura pastosa. 

8 Cubra o creme dental em um recipiente e deixe-o descansar durante a noite. Agite-o antes de usar.

Dicas e Advertências

Enxágue bem a boca depois de usar o creme dental de mirra. Embora essa planta possa ser utilizada internamente, a ingestão prolongada pode causar problemas renais, já que as resinas são difíceis de eliminar.

UTILIZAÇÃO- Em caso de aftas ou gengivite

INGREDIENTES- 20 gr de mirra
- 100 ml de álcool 70°

PREPARAÇÃO- Deixe macerar a mirra e o álcool por 10 dias, agite regularmente

POSOLOGIA

- Coloque a tintura não diluída na boca 2 a 3 vezes por dia. Ou em gargarejos: 5 a 10 gotas em um copo de água.








Postagens mais visitadas deste blog

AS 21 BÊNÇÃOS PRODUZIDAS NO JEJUM DE DANIEL

Nova perspectiva inicio hoje. Gratidão pela consciência.  Quarta feira de cinzas. Inicio de tempo de meditação e retiro espiritual. Deserto Interior.

Atualmente existem livros e livros falando de 40 dias de deserto, de meditações... Mas quem me conhece a mais de década sabe que já organizei meditações para 40 dias de jejum e como foi publicado em 1999, tenho como "provar" que não é por modismo que estou iniciando meu deserto 2015 hoje. Estou reeditando a forma e talvez os textos... Quero me colocar em deserto interno e meditar com profundidade e vou fazer isso buscando o que Daniel também buscou a tantos milhares de anos. Sim desta vez farei o jejum de Daniel de 21 dias.
O conceito de um jejum de Daniel vem de Daniel 1:8-14: "Mas, Daniel decidiu não contaminar-se e pediu permissão para não ingerir as comidas reais. Foi atendido.
O que tinha acontecido é que Daniel e seus três amigos haviam sido "deportados" para a Babilônia, quando Nabucodonosor e os babilônios…

Pessoa especial em um dia especial: Maria Julia

Existem “pessoas mágicas” em todos os lugares ao nosso redor. Elas são aquelas com as quais você conhece a felicidade, aquelas te ajudam a voar, brilhar e caminham contigo. São as pessoas com as quais você compartilha a cumplicidade, aquelas que um gesto, ato ou palavra simplesmente mudam seu estado de espirito. Tem um dom especial de transmutar as coisas, essas pessoas magicas pela sua presença alquímica, muitas vezes criam as condições favoráveis para que você possa aliviar  as agruras da sua jornada.
Há pessoas mágicas. Eu juro, já as vejo em varios lugares. Elas estão escondidas em todos os cantos do planeta. Disfarçadas como normais. Ocultando sua maneira especial de ser. Elas tentam se comportar como os outros. Entretanto, às vezes é muito difícil identificá-las. Mas, quando você as descobre, não há como esquecer. ” – Autor desconhecido

Quando li este texto, automaticamente pensei em você Maria Júlia, pessoa especialmente “mágica” que convivo diariamente. 
Você me desafia a evoluir…

Se com as cores do mundo colorir vai desta terra usufruir

Assisti no Animal Planet reportagem sobre o cerrado brasileiro sobre a parceria que existe entre os animais: as formigas cortadeiras, os lobos guarás, tamanduás...

Cada um respeita o ciclo e assim todos vivem bem. Quando o ser humano chegou e arrancou os cupinzeiros os formigueiros para plantar soja alterou essa parceria.
Precisamos repensar a intervenção que estamos fazendo da vida no planeta????
Se pensas que esta Terra lhe pertence? Se crê que só gente é seu semelhante... Vc tem muito que aprender...